facebook twitter flickr youtube google+ ask.fm rss separador favorite site map
Você está em: Notícias
ENVIAR PARA UM AMIGO

NOME

NOME DO AMIGO

EMAIL DO AMIGO

 

E NO TWITTER... Twitter

Curta-nos no Facebook

Uma juventude entregue a Deus

09/12/2011 -

“Deus continua chamando os nossos jovens para uma vida de consagração, e tem dado a eles a força de perseverar e chegarem até o fim de sua caminhada na fidelidade ao chamado de Deus” (padre Orani, em 1997).

Um jovem reservado, mas firme, alegre, sempre disposto a ajudar, acolher e servir. Assim era na juventude o atual arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta.  Todas essas qualidades continuam presentes na vida desse pastor, confirmadas a cada dia dos seus recém-completos 37 anos de sacerdócio, comemorados no dia 7 de dezembro.

“Não sei o que se passava na minha cabeça. Então veio a graça. Pensei: esse era o meu caminho, ser padre. Foi ali que decidi, voltando da escola à noite, no caminho de casa”, contou Dom Orani no livro “Orani, Pastor da Unidade”, publicado por ocasião do seu Jubileu de Prata sacerdotal.

Quando sentiu esse chamado tinha pouco mais que 15 anos. E em janeiro do ano que completaria 18 anos de idade, ingressou na Ordem Cisterciense, iniciando os estudos de noviciado no Mosteiro de Itaporanga (SP). Em 1972 fez sua profissão solene como monge cisterciense, e, em 1974, foi ordenado sacerdote.

Natural da cidade paulista de São José do Rio Pardo, Orani, o oitavo filho de Maria Bárbara e Achilles Tempesta, nasceu em 23 de junho de 1950. Na infância gostava de brincar e rezar. Na adolescência já servia à Igreja como coroinha e depois catequista. Tem em suas raízes uma família que orava junta, uma paróquia viva e atuante, um desejo de dizer ‘sim’ em seu coração.

Ordenado bispo em 1997, Dom Orani exerceu seu ministério episcopal primeiro em São José do Rio Preto (SP), depois, durante quatro anos, em Belém do Pará. Em 2009, veio para o Rio de Janeiro.

Seu envolvimento e a empatia que tem com a juventude são notórios. O exemplo do pastor tem bases sólidas, que servem de direção para muitos jovens que buscam um referencial de vida.

“A vocação e um dom de Deus. Ele coloca no nosso coração desde que nascemos, que somos chamados a dedicar a própria vida à Igreja. Depois tem a convivência na paróquia, a participação, a catequese em que fui me envolvendo. Essa caminhada faz fortalecer a vocação”, disse Dom Orani.

Isto se torna ainda mais especial neste momento em que a Arquidiocese do Rio e a Igreja no mundo todo se preparam para estarem unidas em um grande testemunho de que é possível buscar a santidade na juventude, viver a comunhão e a fraternidade, com a vinda da Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá no Rio em 2013.

Em todo seu ardor para espalhar a Boa Nova, o trabalho junto à comunicação, como instrumento eficaz de evangelização e de animação dos jovens cresce a cada dia. Assim como o amor do rebanho pelo pastor que se ‘gasta’ a cada dia pelas ovelhas a ele confiadas.

Renata Rodrigues

Tags:

2 comentários

Será sem dúvida uma revolução radical em jesus na vida dos jovens do brasil e esperem em Deus ,acredite nele ,confie em Deus e saibam amigos do mundo inteiro que o Deus VIVO e RESSUSSITADO que se encontra em nosso meio já está vindo do céu para receber de mãos abertas a cada um de seus filhos.
Estou na esperança de uma calorosa chegada da cruz e icone de nossa senhora aqui na cidade de Juazeiro do Norte da diocese do crato no Ceará.Deus Abençoe a todos !
Amados não tenho dúvidas em afirmar que esta JMJ será o resgate de uma juventude desenganada... Como estamos nos preparando, é bom ficar atento as propostas da Igreja para que a preparação seja de fato intensa

FAÇA SEU COMENTÁRIO!

LINK CURTO
  • Voltar
  • Enviar para um amigo
    ENVIAR PARA UM AMIGO

    NOME

    NOME DO AMIGO

    EMAIL DO AMIGO

     

  • Imprimir Página
  • Diminuir Fonte
  • Aumentar Fonte